Explicação da eternidade

devagar, o tempo transforma tudo em tempo.
o ódio transforma-se em tempo, o amor
transforma-se em tempo, a dor transforma-se
em tempo.

os assuntos que julgámos mais profundos,
mais impossíveis, mais permanentes e imutáveis,
transformam-se devagar em tempo.

por si só, o tempo não é nada.
a idade de nada é nada.
a eternidade não existe.
no entanto, a eternidade existe.

os instantes dos teus olhos parados sobre mim eram eternos.
os instantes do teu sorriso eram eternos.
os instantes do teu corpo de luz eram eternos.

foste eterna até ao fim.

José Luís Peixoto, in “A Casa, A Escuridão”

Leia mais deste post

Anúncios

Lisboa, capital Ibero-americana da Cultura 2017

Lisboa é a capital Ibero-americana da Cultura em 2017. Aqui vai um convite para conhecer melhor os laços que nos unem como ibero-américa.

Leia mais deste post

Quando a gente ama…

Quando a gente ama o que faz esquece da hora e mergulha de cabeça, mesmo sendo fim de semana com frio…

novo-acordo

“Aprendentes” e “Atualizandos” do curso com seus diplomas na mão.

Sábado foi um dia desses, de “amor à arte”. Arte de aprender com o que se ensina. E de assistir o curso de atualização sobre o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, lá na Casa do Brasil.

Éramos professores, jornalistas, tradutores, curiosos… todos com algo em comum além de sermos brasileiros: interesse em saber o que mudou, o que foi mantido, o que é novo e o que tem dupla grafia na Língua Portuguesa a partir do Acordo Ortográfico, em vigor no Brasil desde 1º de janeiro de 2016. Leia mais deste post