Nelson Mandela e a aprendizagem de idiomas

Nelson Mandela

“A educação é a arma mais poderosa que você pode usar
para mudar o mundo” Nelson Mandela

Imagino que neste momento a maioria das pessoas que estão conectadas à mídia de alguma maneira estão acompanhando a cerimônia de funeral de um dos grandes homens do nosso tempo, talvez de todos os tempos. Muitas coisas foram escritas sobre ele como pessoa e o que o tornou tão grande. Não pretendo ilustrar o que outros explicaram tão bem, mas, em vez disso, vê-lo sob outra perspectiva: o que podemos aprender para nos tornarmos grandes alunos de línguas observando alguém tão grande.

Perdão ou benevolência

Uma das qualidades que Mandela demonstrou com abundância, e que fluiu por todo o planeta, dando-nos uma bela lição em muitos sentidos, é o poder de perdoar. Perdão é uma qualidade humana transformadora, tanto para nós como para os que nos rodeiam. Não perdoar nós mesmos por termos falhado de algum modo ou causado danos a nós mesmos ou a alguém faz com que não sejamos tão grandes como poderíamos ser. Nos limita e impede de alcançarmos nosso potencial. Há muitas razões para isso, uma delas é que nossa energia e atenção ficam presas ao passado, o que se reflete em como encaramos o presente. Não perdoar os demais pelo que fizeram a nós, a si mesmos e aos demais tem um efeito similar.

Para quem deseja recuperar as habilidades de aprendizagem de línguas, é necessário aprender a desvincular-se do passado e enfrentar cada situação com frescor e originalidade e uma abertura que lhe permita ver, ouvir e aprender o que for proposto. A benevolência ou amabilidade consigo mesmo (=perdão) é a resposta que temos que encontrar dentro de nós mesmos para que isso aconteça. Com certeza há muito mais que isso, mas o perdão é crucial.

Visão e perspectiva

Outra atitude que ele teve, só possível porque ele usou essa benevolência, foi ser visionário e não se limitar por eventuais falhas ou problemas do passado. Tal atitude é outro fator crítico que permite o sucesso em qualquer área de atuação. Sua percepção era tão firme que ele conseguiu mudar o curso da história. Claramente, como alunos de idiomas necessitamos uma visão convincente se quisermos superar o que nos impede de expandir nossas potencialidades até o momento.

Nosso potencial é claramente definido nos primeiros anos de vida. Temos muitas aptidões e nos desenvolvemos de várias maneiras, entretanto a capacidade de falar uma língua continua sendo algo surpreendente. Ainda assim assumimos que é praticamente normal para as crianças se saírem bem e os adultos terem mais dificuldades.  Ficaríamos surpresos se entendêssemos em detalhe tudo o que acontece conosco ao aprendermos nossa língua materna, desde a consciência ou percepção até o mínimo controle muscular necessário para o desenvolvimento conceitual. Não perdemos a capacidade de aprender com o tempo, o que acontece é uma mudança na maneira de ver o mundo, por isso temos que nos adaptar conforme vamos amadurecendo.

Muitas pessoas retomam as aulas de idiomas quando adultos. Aprender é uma competência natural, que já tivemos um dia e podemos recuperá-la com o passar do tempo. O que mostra que todos somos capazes de repetir algo se fizermos o que for preciso. Para muitas pessoas não é fácil. Assim como não foi fácil para Mandela obter tudo o que conseguiu na sua vida. Seu entendimento do que era possível foi ingrediente primordial para que ele resistisse a tudo o que resistiu. O mesmo acontece quando aprendemos outro idioma. Temos que ter perseverança e seguir a meta com convicção se quisermos superar todos os obstáculos que se interpõem no nosso caminho, começando por:

  • Obstáculo: Coisas urgentes que nos distraem e não nos permitem dedicar o tempo e a energia que a aprendizagem de uma língua requer.
  • Possível solução: Foco, concentração.
  •  Obstáculo:Falta de oportunidades de utilizar o idioma que se está aprendendo.
  •  Possível solução:Usar recursos online e conectar-se com pessoas de países que falem o idioma estudado.
  •  Obstáculo:Sensação de não progredir apesar das várias tentativas.
  •  Possível solução:Perseverança, continuar, não desistir.

Humor

Ainda, outra qualidade é a capacidade de ver os momentos de dificuldade com humor e não levar a si mesmo tão a sério. “Meus chefes sempre dizem que fiquei 27 anos vadiando na prisão. Agora é hora de tirar o atraso” foi uma das respostas de Mandela ao ser liberado da prisão. Aprender um novo idioma inevitavelmente trará muitas dificuldades que necessitam ser superadas. Podemos nos frustrar com nossa falta de habilidade ao nos expressarmos como gostaríamos, nosso progresso na vida pode ser bloqueado pela compreensão limitada do novo idioma, podemos inclusive não progredir nada durante anos (talvez até 27!!). Seja qual for o caso precisamos que ser capazes de enxergar o lado positivo de nossa condição para podermos nos manter descontraídos e positivos.

Madiba (nome do clã de Mandela) disse que “Nenhum poder na Terra é capaz de deter um povo oprimido, determinado a conquistar sua liberdade.” A mesma coisa pode-se dizer de uma pessoa decidida a aprender outro idioma em qualquer nível que desejar. Os obstáculos podem ser muitos, mas se permanecermos firmes, comprometidos e determinados, podemos superar qualquer coisa que aparecer no nosso caminho. A perspectiva é o que permite a determinação.

Nelson Mandela só existirá um, e desde sua brilhante existência nos deu insights sobre o que pode se tornar realidade em nossas vidas, se aplicarmos ao menos uma mínima parte do que ele demonstrou ao longo da sua.

Glossário:

Benevolência: disposição benévola do ânimo, bondade, afeto, vontade de fazer bem.

Vadiar: informal, estar inativo, não fazer nada, estar ocioso.

Tirar o atraso: o mesmo que correr atrás do prejuízo, recuperar o tempo perdido, fazer aquilo que deixou de fazer por algum motivo, em determinado espaço de tempo.

Enxergar: ver. Palavra muito usada no Brasil.

Este post foi traduzido pela autora do blog do texto original de Andrew Weiler, da Strategies in Language Learning, com autorização prévia.

Anúncios

Sobre Cristina Pacino
Nascida em São Paulo, residente em Madri. Relações Públicas por decisão. Professora de Idiomas por vocação e mestrado. Paixão por ensinar, vivo para aprender. Quero contribuir para uma sociedade com mais opiniões próprias, ideias originais e criatividade. Acredito que aprender um novo idioma é gerar oportunidades de experimentar a vida sob outras perspectivas. Fundamental: aprender, adaptar-se e mudar. Sigo as palavras de Cora Coralina: "Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina."

2 Responses to Nelson Mandela e a aprendizagem de idiomas

  1. elena curto says:

    Oi Cristina, que bom este post, gostei muitisimo dele!!!, que importantes são o perdão, a perspectiva e o humor na vida. Grande exemplo Madiba!!! Parabéns, eu gostei muitisimo.

  2. Oi Elena, obrigada, fico feliz que tenha gostado :-)! Grande líder e exemplo!

Pode me responder que eu gosto!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: