“Ligando o botão do idioma” no seu cérebro

Você já ouviu falar de um fenômeno chamado “priming” ou “primado”? É a memória inconsciente, a identificação perceptiva e instantânea entre palavras e objetos. Refere-se à ativação de associações na memória justo antes de levar a cabo alguma tarefa ou ação.

Consiste no que os psicólogos dizem quando seu cérebro se adapta ao ambiente onde você está sem que você perceba. Por exemplo, você pode automaticamente andar mais devagar num hospital do que numa academia. O cérebro ajuda o seu corpo a se ajustar, o que também afeta a sua memória, a sua confiança e o jeito de interpretar as situações.

E o que isso tem a ver comigo?

Muito simples: você tem aulas de idiomas na sua empresa? Cedo, na hora do almoço ou depois do expediente? Você já notou que quando está trabalhando e entra na sala para fazer aulas custa um pouco até você se desconectar e começar a entrar no ritmo da aula? E quando quer se expressar existe um conflito entre o profissional e o aluno dentro de si? O mesmo ocorre quando você chega na escola de idiomas.

Tranquilo, você não é o único. Essa situação é vivida diariamente por centenas de pessoas em seus escritórios e escolas. Aqui vão 5 sugestões que podem ajudá-lo a entrar no ritmo da aula de maneira agradável, e contribuir para que o priming aconteça naturalmente.

1. Aquecimento

Chamado em inglês de warm up, é a fase em que o professor utiliza mecanismos para começar o tema, de forma suave e faz com que o aluno comece a pensar no idioma de estudo.

Longe de ser um papo furado, quando o professor pergunta como você está, como foi seu dia, ou simplesmente te ouve, está utilizando uma técnica que é ponto chave para entrar em sintonia com o objetivo, que é aprender o idioma e preparar o terreno para algum tema, e espontaneamente desconectar-se dos assuntos do trabalho.

2. Hidratar-se

Está neurologicamente comprovado: o cérebro necessita hidratar-se para funcionar melhor. É importantíssimo ter uma garrafinha de água, um suco ou mesmo um chá sempre no momento do aprendizado, seja na classe, na biblioteca ou em casa. Além de tornar o ambiente mais apetitoso, contribui para o bom funcionamento do nosso cérebro.

3. Ambiente agradável

Pode até parecer uma bobagem, porém sabemos que se temos calor ou frio e estamos incômodos jamais nos concentraremos na aula. Isto é válido para aulas, reuniões, e ainda nossa mesa de trabalho.

O mesmo acontece com a iluminação. Se trabalhamos na frente de um monitor, o ideal é observar que pontos de luz podem refletir na tela, além do sol. Ideal é trabalhar com luz que ajude em vez de incomodar.

Use e abuse de janelas. Ao permitirem a entrada de luz natural orientam o nosso relógio biológico a ter noção de dia-noite, assim nos sentimos em contato com a natureza e nossa memória primitiva de alguma forma, o que contribui para a aprendizagem.

4. Ouça música e veja filmes no idioma que está aprendendo

Quem não gosta de ouvir música? E de ver um filme? Todos temos nosso gênero preferido, razão a mais para aproveitar todos os recursos que a internet nos oferece de músicas e filmes.

Uma ideia para quem não tem tempo de ouvir música em casa é fazê-lo de caminho ao trabalho, no carro ou no metrô. Com o tempo perceberá que ganhará mais soltura no idioma e que o fato de ouvir música enriquecerá seu vocabulário, aumentando seus conhecimentos de cultura brasileira.

Entre no Grooveshark e conecte-se a “Aqui se fala português”. Há várias listas de artistas do Brasil. Com certeza você encontrará algum estilo de que goste.

5. Relaxamento e concentração

Tanto faz se as aulas são na empresa, na escola ou em casa: relaxe-se e concentre-se. Pensar que está dedicando um tempo precioso ao estudo, e que nada poderá atrapalhar você, vai ajudá-lo a sentir-se à vontade.

No ambiente de trabalho pode não ser tão simples, pelas interrupções, ou mesmo pelo comportamento que se espera dos executivos em grupo, entretanto o melhor é mentalizar que o tempo vale ouro e vamos aproveitá-lo.

Quando o aluno está absorto na aula se dá um momento mágico de abertura dos sentidos e da percepção, que só ocorre quando há uma combinação de curiosidade, disciplina, boa vontade e total desconexão da vergonha de se equivocar.

Essas dicas são algumas das condições básicas que fazem com que o priming ocorra. Se percebermos a importância desse processo, certamente ficaremos mais satisfeitos com nosso aprendizado e o resultado é inevitável: sucesso na certa.

Glossário

Devagar: advérbio, lentamente, sem pressa, contrário de rápido.

Academia: estabelecimento de instrução onde se ministram artes, ofícios ou práticas esportivas (ex.: pilates, levantamento de peso, aeróbica).

Jeito: maneira, modo.

Warm up: verbo frasal em inglês que significa aquecimento.

Papo furado: uma mentira, uma conversa sem fundamento. Uma história inventada ou uma conversa boba, sem futuro.

Classe: sala de aula.

Apetitoso: que desperta o apetite, tentador, saboroso, provocador.

Bobagem: qualquer coisa sem importância.

Usar e abusar: uso exagerado ou excessivo de palavras ou ações.

Tanto faz: (informal) igual a “dar na mesma”. Significa que, subjetivamente, o resultado ou a escolha, é indiferente para a pessoa que o analisa.

Atrapalhar: estorvar, perturbar. Pôr em desordem, produzir confusão, embaraçar.

À vontade: utilizada com os verbos sentir-se, estar ou ficar. Expressão usada para deixar o interlocutor cômodo e que dá liberdade para o outro sentir-se como se estivesse na sua própria casa.

Absorto: absorvido, concentrado, imerso num pensamento.

Sucesso: êxito, o que tem bom resultado, boas vendas ou muita popularidade.

Na certa: (informal) com certeza, sem dúvida.

Sobre Cristina Pacino
Nascida em São Paulo, residente em Madri. Relações Públicas por decisão. Professora de Idiomas por vocação e mestrado. Paixão por ensinar, vivo para aprender. Quero contribuir para uma sociedade com mais opiniões próprias, ideias originais e criatividade. Acredito que aprender um novo idioma é gerar oportunidades de experimentar a vida sob outras perspectivas. Fundamental: aprender, adaptar-se e mudar. Sigo as palavras de Cora Coralina: "Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina."

One Response to “Ligando o botão do idioma” no seu cérebro

  1. Pingback: Estudar a fogo lento | Aqui se fala português

Pode me responder que eu gosto!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: