Dia da Consciência Negra no Brasil

Todos os anos falamos sobre o Dia da Consciência Negra no Brasil aqui no blog. Ainda temos muito o que falar e evoluir como espécie para que não precise haver um dia como este na história. Por outro lado, ainda bem que ele existe, já que ignorar os fatos é quase uma forma de negá-los.

Continuamos aprendendo e divulgando a história e cultura dos países de língua portuguesa por estas páginas.

O Dia Nacional da Consciência Negra é celebrado em 20 de novembro no Brasil, e é dedicado à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira.

A data foi escolhida por coincidir com o dia da morte de “Zumbi dos Palmares”, em 1695. O Dia da Consciência Negra procura ser uma data para se lembrar da resistência do negro à escravidão de forma geral, desde o primeiro transporte de africanos para o solo brasileiro (1549), até a abolição da escravatura (1888), além de reavaliar e reinventar a vida após tanto tempo de escravidão.

No ano passado divulgamos o vídeo do Nabby Clifford, sobre a diferença das palavras negro e preto.

Então, preto ou negro?

Em 2017 divulgamos o anúncio da Skoll, o Skolors e a diversidade.

Viva a diversidade

Porém, tudo começou quando aprofundamos no assunto neste post de 2014, explicando as razões históricas da data, além de trazer vocabulário como o que segue abaixo:

Vamos aprofundar na história?

Quilombo: na língua banto significa “povoação”. O dicionário Priberam define como “esconderijo no mato onde se refugiavam os escravos”. Os quilombos funcionavam como núcleos habitacionais e comerciais, além de local de resistência à escravidão, já que abrigavam escravos fugidos de fazendas.

Miscigenação: cruzamento de indivíduos de raças ou de etnias diferentes (ex.: miscigenação dos povos africanos, indígenas e europeus). = mestiçagem

Caboclo: nome que se dá no Brasil aos nativos mestiços de brancos com índios, cujos traços físicos incluem pele acobreada ou morena e cabelos escuros e lisos. = cariboca

Senzala: alojamento ou conjunto de alojamentos onde ficavam os escravos, conjunto de escravos, quilombo, aldeia de escravos. A diferença do quilombo é que a senzala ficava perto da casa grande, casa dos senhores feudais, e o quilombo normalmente era afastado das plantações

Crioulo: no Brasil – filho de escravos; mestiço, mulato; negro. Negro nascido no Brasil.

Mestiço: diz-se do ou o indivíduo proveniente de pais de raças diferentes.

Espero que goste dos posts e pode comentar que eu gosto, tá?

Nos lemos por aqui!

Sobre Cristina Pacino
Nascida em São Paulo, residente em Madri. Relações Públicas por decisão. Professora de Idiomas por vocação e mestrado. Paixão por ensinar, vivo para aprender. Quero contribuir para uma sociedade com mais opiniões próprias, ideias originais e criatividade. Acredito que aprender um novo idioma é gerar oportunidades de experimentar a vida sob outras perspectivas. Fundamental: aprender, adaptar-se e mudar. Sigo as palavras de Cora Coralina: "Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina."

Pode me responder que eu gosto!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: