Saudade

Saudade? Mas o que é isso afinal?

Faz 10 anos que explico o conceito de saudades ou saudade aos meus alunos. Chegou a hora de escrever sobre o assunto. Pode nem ser um texto definitivo. Certamente dentro de um tempo eu volte aqui para revisá-lo, ou escrever novas linhas.

Aqui na Espanha as pessoas me dizem, às vezes perguntam: saudades é igual à “morriña” dos galegos, é “echar de menos”, é “extrañar”, é “añorar”. Podem dizer várias palavras, porém sou incapaz de traduzir “saudade”. A saudade se define. A minha interpretação é a seguinte:

Saudade é aquele sentimento bom que a gente tem ao lembrar de algo ou alguém que já não está mais no tempo no qual estamos vivendo e que nos traz um calor especial ao coração, nos faz dar aquele sorrisinho de lado com os olhos baixos buscando a imagem na memória, nos faz reviver aquele momento, nos transporta ao lado daquela pessoa querida, e que sabemos que esse momento não existirá “mais nunca”.

Saudade é um sentimento bom, por isso não comparo à nostalgia ou à “morriña” galega, porque nunca vi ninguém ter saudades de coisas ruins, só de coisas boas. Por isso nos aquece o coração.

Também não acho que é sentir falta, porque não considero que a situação vivida ou a pessoa possam ser trazidos de volta. Podemos reencontrar com alguém de quem temos saudades, mas o que foi vivido, já passou. Podemos criar novas experiências, e ao mesmo tempo ter saudades de vivências. Podemos viajar todos os anos nas férias para o mesmo lugar e ter saudades da primeira vez, por exemplo.

Outro dia a minha amiga Leticia me lembrou deste podcast que ouvi sobre a saudade. Por isso escrevo estas linhas agora.

Acho que é o melhor compêndio sobre o assunto do qual já tive conhecimento. Analisado em detalhes e com um nível de profundidade muito bem pensado. O formato podcast é ótimo porque permite que o ouvite possa voltar no ponto que não entendeu tendo o áudio para impressionar os sentidos, com as pausas, os suspiros, no ritmo e no tom das apresentadoras e dos entrevistados.

Assim começa o episódio #259 de 10 de julho 2020. Acho que este tema é eterno, não devia nunca desaparecer das ondas da net.

“Oi, eu sou a saudade. Tem gente que acha que sou gêmea da tristeza, alguns até pensam que somos univitelinas. Mas posso lhe assegurar que somos apenas vizinhas, amigas, feitas do mesmo sabor agridoce, mas há muito o que me difere dela. Eu quis entrar justamente porque vi em você um tanto de mim. Você me permite entrar? Eu sou uma espiral do tempo. Eu sou uma tecelagem que alinhava o passado ao presente, e se sou esta linha, sou a verdadeira máquina do tempo. Através de mim, você viaja a outras vidas que já viveu nesta vida.”

É pra falar da saudade, esse sentimento que mora em todos nós, que o Mamilos trouxe o autor do texto acima, nosso querido psicólogo de bolso e amigo Alexandre Coimbra Amaral!

 

Confira no Spotify

Site do Mamilos apresentado pela Ju Wallauer e Cris Bartis, e desenvolvido por uma equipe.

 

Saudade na Wikipédia em espanhol

Saudade na Wikipédia em português

Saudade no dicionário Priberam – (latim solitas, -atis, solidão) substantivo feminino

1. Lembrança grata de pessoa ausente, de um momento passado, ou de alguma coisa de que alguém se privado.

 

Esta é a interpretação musical da saudade.

Tem como ficar triste ouvindo e vendo esta maravilha?

 

Petit Pays, cantada pela Cerária Évora, a rainha da morna.

Muitas pessoas conhecem esta música como “saudade”.

Outra maravilha musical. Um presente!

 

Chega de saudade – Tom Jobim e João Gilberto.

Dois gigantes da Bossa Nova.

 

Quer sugerir alguma música sobre saudades? É só me escrever que eu atualizo o post.

E aí, gostou do post? Qual é a sua ideia sobre a saudade?

Sobre Cristina Pacino
Nascida em São Paulo, residente em Madri. Relações Públicas por decisão. Professora de Idiomas por vocação e mestrado. Paixão por ensinar, vivo para aprender. Quero contribuir para uma sociedade com mais opiniões próprias, ideias originais e criatividade. Acredito que aprender um novo idioma é gerar oportunidades de experimentar a vida sob outras perspectivas. Fundamental: aprender, adaptar-se e mudar. Sigo as palavras de Cora Coralina: "Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina."

2 Responses to Saudade

  1. evaarias74 says:

    Eu aprendi mais uma coisa hoje, obrigada Cristina!! Achava a saudade sentimento ruim. Mas é mesmo ao contrário. É lindo

    PD- A minha mãe adora Cesárea Évora. Assistimos juntas show dela há muitos anos. A lembrança… me faz ter saudade 🙂

    • Que coisa boa é renovar o nosso conhecimento, né, Eva?
      Esse show foi no Veranos de la Villa, num palco que montavam perto de Puerta del Ángel? Se sim, estávamos juntas no show! Um espetáculo!

Pode me responder que eu gosto!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: