Viajando de van pela Espanha

Post publicado originalmente no BLPM.

sierra-de-hirta

Sierra de Hirta, Castellón

Quando morava no Brasil via as pessoas nos filmes e nos documentários viajando de van e de trailer e sempre achava que deveria ser uma delícia viajar assim. Tinha mil dúvidas: como fazer? Será perigoso? Vão me assaltar? Tenho que ter uma van ou posso alugar? Em ambos casos, quanto custa? E onde estacionar? Será muito hippie? Quem viaja não toma banho? E as necessidades, tem que ir no matinho?

Já digo: não é coisa de malucos, não precisa ser hippie e, sim, se toma banho! Vou contar um pouco do que vivi nos últimos anos aqui na Espanha viajando de van, ou o que vem a ser parte de uma road trip (viagem de carro). Me acompanha?

Depois de alguns anos morando na Espanha eu e meu namorado (espanhol) compramos uma van, conhecida como VW T4. Confesso que na primeira viagem fui cheia de preconceitos. Na segunda viagem éramos “os experientes”.

Costumo chamar a van de “hotel de mil estrelas”, sendo bem humilde, porque na verdade temos todo o firmamento onde quer que estacionemos.

Como fazer?

 1.Ter uma van

O preço de uma van pode variar de 5.000€ a 50.000€, tudo dependerá do ano, modelo, equipamento, motor… como qualquer outro carro. Mas sim, dá para comprar uma van legal por 5.000€.

2. Alugar um motorhome (autocaravana ou camper em espanhol)

Existem empresas especializadas em aluguel de motorhome. É sempre bom fazer pesquisa antes, e pensar no destino aonde você vai. Aqui vão algumas opções populares na Espanha:

3. Pedir um deles emprestado

Sinceramente não sei se esse tipo de veículo se empresta, mas caso você um dia possa pegar emprestado, preste bem atenção aos toques que o dono do carro te der. E, principalmente, seja cuidadoso. Adoramos nossos carros!

Último fim de semana que se podia dormir na Pedriza, Madri. Agora é Parque Nacional, portanto, proibido passar a noite.

Último fim de semana que se podia dormir na Pedriza, Madri. Agora é Parque Nacional, portanto, proibido passar a noite.

Ok, tema já solucionado, indo de van ou motorhome, pense que você vai fazer uma viagem ”quase” como outra qualquer: de acordo com o número de dias que tem, planejar aonde quer ir, o que quer ver, e quanto pretende gastar.

A priori uma viagem de van é muito econômica, pois não se gasta nada ou quase nada com o lugar onde você vai dormir (o que não necessariamente eu chamaria de alojamento). A mesma coisa com comida.

Onde dormir

A van é um esquema tipo camping, no qual a barraca é substituída por um carro. Em vez de dormir entre as telas de nylon, você dorme num colchão dentro do carro, já preparado para isso. É como uma cama sobre 4 rodas. E é bem confortável e espaçoso! Diz uma mulher de 1,80 m com namorado mais alto.

Em lugares altos ou muito abertos, o importante é se resguardar do vento.

Em lugares altos ou muito abertos, o importante é se resguardar do vento.

 

1. Campings

Você pode estacionar num camping, onde tem infraestrutura com banheiros femininos e masculinos, com chuveiros quentes, pias para lavar louça, tanques para lavar roupas e uma parcela para estacionar. Aqui na Espanha a parcela normalmente tem uma instalação elétrica, para conectar o carro, e evitar que gaste bateria. Você pode necessitar carregar o celular, acender uma lâmpada ou ligar uma geladeira, sem precisar desperdiçar bateria à toa.

Nos campings também costuma haver um restaurante ou pelo menos uma lanchonete/bar e mini mercado, que pode lhe tirar de um aperto, caso você não tenha levado comida.

Na parcela que se aluga você pode cozinhar, dentro ou fora do carro, sempre respeitando as regras de horários, de condutas de boa vizinhança, como se estivesse num prédio. Ouvir música num volume razoável e não falar alto é básico.

Às vezes os campings têm piscina, salão de jogos, quadra de tênis/basquete, bar e restaurante separados. Normalmente têm água (muitas vezes potável) à vontade para lavar o carro, encher o reservatório de água caso o carro tenha, e lugar para despejar os resíduos das águas da cozinha e do banheiro (portátil que tivermos na van/motorhome)

O preço pode variar de 3 a 25€ / pessoa + carro, e sem carro de 3 a 10€.

Camping em Andaluzia no inverno.

Camping em Andaluzia no inverno.

 

2. Áreas de descanso

Existem áreas que as estradas habilitaram para as pessoas descansarem. Aqui se chamam áreas de descanso. São espaços nas estradas com estacionamento normalmente para vários carros, com mesinhas e bancos, de pedra ou de madeira, mas que carecem de sombra. No verão é complicado parar. É proibido dormir, mas em caso de muito cansaço, ok. São lugares ermos, afastados, sem iluminação. Eu nunca tive vontade de dormir numa área de descanso, pra ser bem honesta.

3. Áreas de serviço

É o nosso famoso posto da estrada. Lá tem o posto de gasolina, uma loja de conveniência, um restaurante, banheiro disponível a qualquer pessoa, que não tem que consumir nada para usá-lo. Normalmente não se pode dormir, mas se você estiver muito cansado e coincidir de ter muitos caminhões pernoitando, pode ficar tranquilo que está liberado dormir. Tudo dependerá da área de serviço. Sempre é melhor parar e descansar do que tomar mais um café ou uma Coca-Cola para aguentar mais horas no volante.

4. Estacionamentos para vans

Quando há lugares turísticos, pode ser que haja campings que fecham fora de temporada, então existem áreas privadas acondicionadas para dormir. Costumam ser gratuitas, e melhor é olhar na internet antes de ir para ver se tem banheiro e pia. As pagas sim que têm, e o preço pode ser uns 3€ / noite.

Estacionamento na Serranía de Huelva.

Estacionamento na Serranía de Huelva.

 

5. Praia

Muitas praias na Espanha têm um amplo estacionamento, e, somente se houver placa indicando que é proibido, costuma ser o lugar preferido dos viajantes de vans.

A preferência dos “furgoneteros” é por praias de bandeira azul, que cumprem uma série de condições ambientais e instalações, além de normalmente serem lindas… A Espanha é o país com mais praias com bandeira azul do mundo! Tem 587, de um total de 2789 praias na Europa. Em ordem seguem a França, Turquia, Grécia, Itália e Portugal.

O bom de estacionar na frente da praia é que você acorda com uma vista impressionante, além de poder dormir sob um céu incrível. Acordar no silêncio total, ouvindo só a brisa do mar e os passarinhos. Ser o primeiro a chegar na areia, poder fazer nudismo.

Sierra de Hirta, Castellón.

Sierra de Hirta, Castellón.

 

Essa é uma coisa boa da Espanha também, o nudismo é permitido, há praias com cartazes sinalizando, e, assim como o topless, é muito comum em qualquer idade.

Ir dormir depois que todo mundo foi embora, e poder escolher uma mesinha para jantar, é um luxo. Existem velas com suporte para parar o vento. Imagina?

sierra-de-hirta-amanhecer

O ruim: a maresia. Mas, olha a gente se acostuma, e é só levar a roupa adequada. Corta ventos e impermeáveis, mesmo no verão.

 

Praia de Seselle, Galicia.

Praia de Seselle, Galicia.

 

Mas… e para tomar banho?

Se você estiver num camping, assunto resolvido.

Senão, há alternativas:

1 – No verão, como nas praias há chuveiros de água doce, você pode tomar banho com o biquíni posto, e tirar o sal. JAMAIS usar xampu, condicionador, sabonete líquido ou em barra. Tudo isso vai para a água do mar, e você, viajante consciente, não vai estragar o lugar que você tanto ama.

Essa é outra coisa boa dos que viajam de van/motorhome: são pessoas com consciência ecológica. Não poluem e não costumam deixar lixo (óbvio, sempre tem algum porquinho solto pelo mundo).

2 – Toalhinhas para se limpar, como as de bebês, mas grandes para o corpo todo. É uma opção. Eu particularmente não curto, porque tem algum produto que deixa a pele um pouco pegajosa e para mim parece que sujei em vez de limpar.

3 – Uma toalhinha de mão ou esponja, um baldinho ou baciazinha com um pouco de água, e sabonete. É o método que se usa nos hospitais: se passa a toalhinha pelo corpo todo e enxaguando quando precisa. Tantos hospitais não podem estar errados…

Estacionando com a porta para a vegetação há muita privacidade.

Estacionando com a porta para a vegetação há muita privacidade.

 

4 – Ducha portátil. Existem duchas de 20 litros que você pode deixar em cima do carro e ela esquenta com o sol, e quando você vai tomar banho quase morre carbonizado… não recomendo. Além de ser um trabalhão para levantar esses 20 kg.

 

5 – Uma vez tive uma idéia brilhante lá na França: entrei num banheiro de um parque, o lugar para fazer as necessidades era no chão, não havia vaso, e sim um buraco no chão com a plataforma para os pés onde se fazia as a necessidade de cócoras. Eu me ensaboava e meu namorado me enxaguava com uma garrafa de 6 litros. Foi um dos banhos mais práticos e divertidos da minha vida. Isso sim, era verão e o banheiro estava deserto.

Outra vez: se nada disso funcionar, na Espanha há mais de 500 campings.

 

Banheiro para as necessidades

Existe um banheiro químico portátil apelidado carinhosamente de potty, que é penico de crianças em espanhol. Custa a partir de 50€. Em vez de descrevê-lo, ponho o vídeo com as instruções de uso abaixo. Só digo uma coisa: é um invento revolucionário, eu não sei viajar sem meu banheirinho. É MUITO útil.

As águas residuais SEMPRE devem ser jogadas num local indicado para isso, num camping ou num posto de gasolina que permita.

Comida

Quis escrever um texto à parte de “o que levar”, pois se você tiver geladeira elétrica é uma coisa. Se tiver uma “fresquinha”, ou uma caixa térmica (pode ser até de isopor; na Espanha vejo mais de plástico para camping…).

Pensar numa despensinha é muito útil, além de ser a forma mais econômica de comer em qualquer parte do mundo. Levar alimentos como arroz, quinoa, mel, frutas secas, açúcar, café, sal, azeite de oliva, chás, bolachas, latas de atum e outras que gostar, molho de tomate já pronto, espaguete, ingredientes para sopa como cenoura, abóbora, cebola, alho, louro, sêmola de trigo para cus cus marroquino (que é facílimo de fazer e uma delícia pra quem gosta, só comprar salsinha fresca em alguma cidadezinha), leite, chocolate para comer à noite, vinho.

Café da manhã no estacionamento da Boca del Asno, Segóvia.

Café da manhã no estacionamento da Boca del Asno, Segóvia.

 

1. Geladeira elétrica

Você pode pensar em levar alimentos do tipo: ovos, geléia, manteiga, alface, tomates, frutas, queijo, leite, cerveja, vinho, iogurte, jamón, embutidos.

No verão sempre levo uma salada de maionese pronta, que dá para as duas primeiras refeições, ou, aguentam mais de um dia na geladeira.

Merenda num fim de tarde.

Merenda num fim de tarde.

 

2. Geladeira de isopor

Tem que comprar gelo todos os dias, e nos postos de gasolina sempre tem. Um pacote custa uns 3€.

O ideal é comprar alimentos que não sofram muito com a mudança de temperatura durante pouco tempo, como cerveja, frutas, ovos, queijo.

Viajei durante um verão inteiro, indo para outro país, com esse tipo de geladeira. Foi ótimo, e com o tempo pudemos comprar uma geladeira elétrica.

Café da manhã com tostadas recém feitas com azeite. O astral do lugar influindo no começo do dia.

Café da manhã com tostadas recém feitas com azeite. O astral do lugar influindo no começo do dia.

 

Planejamento

O que levar

  • Água potável numa quantidade mínima. Nós aqui em casa temos 2 garrafões de 6 litros que enchemos e deixamos à mão para tomar, mas o carro tem um reservatório de 70 litros, o que ajuda na hora de lavar a louça, o rosto, as mãos, fazer café e para o que precisar. Normalmente enchemos com água de Madrid, que é potável.
  • Lanterna, que possa ser pendurada. É um item básico para acampar, assim como canivete, talheres, e utensílios de cozinha para camping, além do fogãozinho e garrafas de gás extra. Ah, um saca-rolhas é tudo, vai por mim.
  • As roupas, vão depender do estilo da pessoa. Eu sempre levou pouca roupa, e quando vou para a praia, uma muda de roupa quentinha + biquíni e shorts. No inverno, jaqueta de “plumas”. Sempre levar chinelo e toalha.
  • Sacos de dormir são sempre bem-vindos. Nas praias durante o verão costuma fazer friozinho de noite.
Amanhecer na Pedriza, Madri. Ir preparado para o frio é importante.

Amanhecer na Pedriza, Madri. Ir preparado para o frio é importante.

  • Repelente e incenso (que também é um bom repelente).
  • Se você gosta de levar seu travesseiro quando viaja, anota aí. Eu não sei ficar mais de 3 noites sem o meu. E se você esquecer, uma toalha ou alguma malha dobrada pode salvar seu pescoço no dia seguinte.
  • Algum livro, jogo, tablet com um filminho pode salvar algum dia que chova muito. Se curtir fazer yoga/pilates, uma esteira nunca é demais.

É isso. Se estiver esquecendo de algo, deixe seus comentários no fim do texto.

Atrás das dunas, Gandia. Não precisamos de repelente porque era fim do verão.

Atrás das dunas, Gandia. Não precisamos de repelente porque era fim do verão.

 

Lembrando

Coisas boas

  • Poder parar onde bem entender, quando quiser. Há diversas praias, prainhas, cidadezinhas, parques naturais, castelos, cachoeiras, rios, represas interessantes e bonitos para se ver na Espanha.
  • Se tiver sono, parar e dormir, seja a hora que for.
  • Ter comida a hora que quiser.
  • Poder ir ao banheiro de madrugada sem ter que mudar de cômodo.
  • Se viajar em 2 ou mais pessoas, revezar no volante, assim todos cansam menos.
  • Indo a 100 km/hora o tanque dá pra muitos kms!
Área para estacionamento de vans, com Grazalema em frente. Depois de uma tempestade, ganhamos um céu estrelado de noite e sol no dia seguinte. Grazalema é o lugar onde mais chove na Espanha.

Área para estacionamento de vans, com Grazalema em frente. Depois de uma tempestade, ganhamos um céu estrelado de noite e sol no dia seguinte. Grazalema é o lugar onde mais chove na Espanha.

 

Coisas nem tão boas

  • Pode chover ou ventar muito, e você ter que ficar dentro do carro um tempo para se resguardar da intempérie.
  • Saber o que vai comer, e não provar da comida local. Isto sempre é uma opção.
  • Perder aquelas comidas de “pueblo” que são tão deliciosas na Espanha, em prol da economia.
  • Qualquer problema que o carro possa dar.
  • Cansaço ao dirigir muitas horas.

 

Local para merendar, em Galícia.

Local para merendar, em Galícia.

 

O mesmo local para merendar, em Galícia.

O mesmo local para merendar, em Galícia.

Básico do básico:

  • Se o carro estiver equipado como “coche vivenda” a velocidade máxima permitida na estrada é de 100 km/hora. Para os apressados, as viagens podem se transformar em tortura. Para os que aproveitam o tempo e a companhia, é tempo de compartilhar, rir, tirar fotos, descobrir, surpreender-se com o que se vê indo a essa velocidade.
  • Antes de pegar estrada, sempre revisar os freios, água, luzes, coletes de emergência, limpador de para-brisas, pneus…
  • Anotar os preços do combustível e sempre comparar antes de abastecer. É realmente infalível.

 

boca-del-asno

Quem viaja de van estaciona longe o suficiente para passar o mais desapercebido possível.

Consultar furgoperfectos antes de sair.

Lembrar de levar CDs, pendrive ou gravar umas musiquinhas legais no celular para ouvir no caminho e de estilos diferentes. Cada lugar pede uma trilha sonora, ou nenhuma…

Normalmente quem viaja de van acorda cedo e dorme cedo. A menos que se viaje em galera e a vibe seja de ir pra balada. Mas, de van, o espírito é o de curtir a natureza, o silêncio, e respeitar o direito dos demais de curtir esse silêncio.

Gosto desse espírito, e das amizades que se faz no caminho. Pode-se conhecer gente muito interessante viajando de van.

Almoço com 1 amigo + seus 2 filhos em O Cebreiro, Galícia.

Almoço com 1 amigo + seus 2 filhos em O Cebreiro, Galícia.

 

Curiosidades:

  • Para qualquer produto de camping ou de vans, recomendamos visitar o Lulukabaraka.
  • Se comprar uma van, inscrever-se no fórum www.furgovw.org. Eles conversam sobre tudo e podem esclarecer dúvidas e dar ideias.
  • No Brasil há 6 praias com bandeira azul 2015/2016:

1 – SC –Florianópolis – Lagoa do Peri

2 – RJ – Angra dos reis – Marina Costabella

3 – SP – Guarujá – Marinas Nacionais

4 – SC – Governador celso Ramos – Palmas

5 – SP – Guarujá – Praia do Tombo

6 – RJ – Rio de Janeiro – Prainha

Anúncios

Sobre Cristina Pacino
Nascida em São Paulo, residente em Madri. Relações Públicas por decisão. Professora de Idiomas por vocação e mestrado. Paixão por ensinar, vivo para aprender. Quero contribuir para uma sociedade com mais opiniões próprias, ideias originais e criatividade. Acredito que aprender um novo idioma é gerar oportunidades de experimentar a vida sob outras perspectivas. Fundamental: aprender, adaptar-se e mudar. Sigo as palavras de Cora Coralina: "Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina."

Pode me responder que eu gosto!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: