Imigração italiana no Brasil

O programa brasileiro de TV Globo Repórter dedicou uma edição aos 140 anos de história da chegada dos primeiros italianos ao Brasil.

O documentário mostra as razões que levaram 1,5 milhão (um milhão e meio – fonte wikipedia) de pessoas a mudarem de país e de continente.

imigrantes itali 1

A imigração italiana no Brasil foi intensa, tendo como ápice o período entre os anos de 1880 e 1930. A maior parte dela se concentrou nos estados de São Paulo e Rio Grande do Sul. Os italianos começaram a imigrar em número significativo para o Brasil a partir da década de 1870. Foram impulsionados pelas transformações socioeconômicas em curso no Norte da península itálica, que afetaram sobretudo a propriedade da terra. Um aspecto peculiar à imigração em massa italiana é que ela começou a ocorrer pouco após a unificação da Itália (1861), razão pela qual uma identidade nacional desses imigrantes se forjou, em grande medida, no Brasil. (fonte Wikipedia)

 

imigrantes itali 2

Imigrantes na região de Caxias do Sul em 1911. A colonização italiana no Rio Grande do Sul foi principalmente de caráter familiar e voltada para a produção agrícola. (Programa ECIRS / Instituto Memória Histórica e Cultural / Universidade de Caxias do Sul – Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami)

Se pensarmos que o governo italiano (assim como o japonês nos anos 20) incentivou a ida dos italianos ao Brasil a partir de 1875, vemos que coincide com a revolução industrial na Europa e as mudanças de governo no Brasil, que passava de império a república, e com o ciclo do café.

 

A contribuição cultural e econômica dos italianos ao Brasil é incontestável: revolucionaram a agricultura, a culinária, economia e costumes. Existem bairros na cidade de São Paulo nos que se pode notar o sotaque diferente das pessoas, meio puxado para o italiano. Por exemplo a Moóca, Bom Retiro, Brás, Bixiga/Bela Vista.

 

Para mim o assunto da imigração é muito especial, já que sou imigrante e meu sobrenome não é Pacino à toa. Meus avós maternos saíram da Calábria e de Nápoles entre o final dos anos 1800 e a Primeira Guerra Mundial rumo ao Brasil para tentar uma vida mais digna da que possuíam na Itália.

É tema para se pensar na situação atual que vivemos hoje na Europa com o assunto dos refugiados o Oriente Médio e dos novos fluxos migratórios massivos que andam acontecendo nos últimos 10 anos.

Mais informações:

Sobre Cristina Pacino
Nascida em São Paulo, residente em Madri. Relações Públicas por decisão. Professora de Idiomas por vocação e mestrado. Paixão por ensinar, vivo para aprender. Quero contribuir para uma sociedade com mais opiniões próprias, ideias originais e criatividade. Acredito que aprender um novo idioma é gerar oportunidades de experimentar a vida sob outras perspectivas. Fundamental: aprender, adaptar-se e mudar. Sigo as palavras de Cora Coralina: "Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina."

Pode me responder que eu gosto!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: